SOBRE A PROCISSÃO DO FOGARÉU

O que aconteceu na quinta-feira Santa?


Na Quinta-Feira Santa ou Quinta-Feira de Endoenças, Cristo ceou com seus apóstolos, seguindo a tradição judaica do Sêder de Pessach, já que segundo esta deveria cear-se um cordeiro puro; com o seu sangue, deveria ser marcada a porta em sinal de purificação; caso contrário, o anjo exterminador entraria na casa e mataria o primogênito dessa família (décima praga), segundo o relatado no livro do Êxodo. Nesse livro, pode ler-se que não houve uma única família de egípcios na qual não tenha morrido o primogênito, pelo que o faraó permitiu que os judeus abandonassem do Egito, e eles correram o mais rápido possível à sua liberdade; o faraó rapidamente se arrependeu de tê-los deixado sair, e mandou o seu exército em perseguição dos judeus, mas Deus não permitiu e, depois de os judeus terem passado o Mar Vermelho, fechou o canal que tinha criado, afogando os egípcios. Para os católicos, o cordeiro pascal de então passou a ser o próprio Cristo, entregue em sacrifício pelos pecados da humanidade e dado como alimento por meio da hóstia.


A Origem da Procissão do Fogaréu


A Procissão do Fogaréu foi introduzida em Goiás pelo padre espanhol João Perestello de Vasconcelos Spíndola, inspirado nas celebrações de sua terra natal, que, por sua vez, remontam à Idade Média. A procissão do Fogaréu lembra cerimônias antigas em muitos de seus ritos. A indumentária utilizada pelos penitentes caracteriza-se por uma túnica comprida e por um longo capuz cônico e pontiagudo, guardando fortes semelhanças com as vestimentas que ainda hoje são comuns nas celebrações da semana santa na Espanha. Trata-se, com efeito, de um traje de origem medieval, o qual era costumeiramente utilizado por penitentes que assim podiam expiar seus pecados sem ter que revelar publicamente sua identidade.

A tradição, que remonta ao século XVIII, e ainda subsiste na cidade espanhola de Sevilha, simboliza a busca e a prisão de Jesus Cristo.



A Procissão do Fogaréu em Reriutaba


A Procissão do Fogaréu, na cidade de Reriutaba, também representará a prisão de Cristo antes de sua crucificação, com requintes de cerimônia medieval.

A procissão encena a prisão de Jesus Cristo e ao som de tambores, o cortejo à luz de velas pelas ruas é feito por 47 fiéis encapuzados com hábitos de penitência - chamados de farricocos,que representam a guarda judaica dos sacerdotes, que abrem os rituais de execução.

Seguidos de pessoas que carregam velas ao som da fanfarra cria-se o cenário de dor e angústia pela prisão de Jesus Cristo antes da crucificação.

As máscaras dos farricocos representam o mal, que sempre esconde sua face quando está próximo da luz.

Ao longo do trajeto,na primeira parada, encontram a mesa da última ceia já dispersa.


Em seguida, avançam para um ponto alto da cidade. Essa segunda parada simboliza o Jardim das Oliveiras - Getsêmani, onde se dará a prisão de Cristo. Este é representado por um estandarte de linho pintado em duas faces.


Você sabe o que os apóstolos estavam fazendo quando Jesus estava prestes a ser preso?

22 h -JESUS ENTRA EM AGONIA E SUA SANGUE. 

Mas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades; o castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas. (Is 53, 5)

 ORAÇÃO DE JESUS NO MONTE DAS OLIVEIRAS

 Meu Pai, se é possível, afasta de mim este cálice! Todavia não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres.(Mt 26, 39)

Nos dias de sua vida mortal, dirigiu preces e súplicas, entre clamores e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, e foi atendido pela sua piedade. Embora fosse Filho de Deus, aprendeu a obediência por meio dos sofrimentos que teve.(Hb 5, 5-7)

 O ANJO CONSOLADOR

 “O Anjo da Sua Face os salvou” (Is 63, 9)

 Apareceu-lhe então um anjo do céu para confortá-lo. (Lc 22, 43)

 O SUOR DE SANGUE

 Ó terra, não cubras o meu sangue, e que seu grito não seja sufocado pela tumba. (Jó 16,18)

Ele entrou em agonia e orava ainda com mais instância, e seu suor tornou-se como gotas de sangue a escorrer pela terra. (Lc 22, 44)

OS DISCÍPULOS ESTÃO DORMINDO PELA PRIMEIRA VEZ

 Olhei então, e não houve pessoa alguma para me ajudar: (Is 63, 5)

“Então não pudeste vigiar uma hora Comigo? (Mt 26, 40)

Em seguida, foi ter com seus discípulos e achou-os dormindo. Disse a Pedro: Simão, dormes? Não pudeste vigiar uma hora! Vigiai e orai, para que não entreis em tentação. Pois o espírito está pronto, mas a carne é fraca. (Mc 14,37-38)

 JESUS REZA PELA SEGUNDA VEZ E ACHA OS DISCÍPULOS DORMINDO

 Esperei em vão que ME consolasse e não encontrei... (Sal 68, 21)

Voltando achou-os de novo dormindo porque seus olhos estavam pesados e não sabiam o que responder (Mc 14,40)

Afastou-se pela segunda vez e orou, dizendo: Meu Pai, se não é possível que este cálice passe sem que eu o beba, faça-se a tua vontade! Voltou ainda e os encontrou novamente dormindo, porque seus olhos estavam pesados. (Mt. 26, 42-43).

 
 

Rua Abraão Morais, 310 - Barro Vermelho - Reriutaba - CE - CEP 62260-000

©2014 LIGA ECOAR. Produzido por Maquinelle Furtado.